Av. Dr. Anysio Chaves, 853 - Aeroporto Velho - CEP: 68030-290   |   Telefone: (93) 2101-5100   |   

Vegetação

Vegetação

O município de Santarém tem diversos tipos de grupos de vegetação, que variam bastante em função dos tipos de solos e da drenagem hídrica.

As áreas relacionadas à vegetação nativa constituem o elemento de maior representatividade na região em estudo, ocupando uma superfície com cerca de 18.334 km2, o que representa 69% de todo o espaço municipal de Santarém. Ocorrem, preferencialmente, na porção meridional, ao longo das principais bacias hidrográficas que cortam a região. Em função de suas características, foram subdivididas em Floresta; Cerrado e Várzea, esta última com ampla ocorrência no extremo norte do município.  

Floresta 

Ocupa a maior porção do elemento considerado (vegetação nativa), cobrindo uma superfície de 16.882 km2, o que corresponde a 63,66% da área total do município. Compreende a três grandes grupos de cobertura florestal, que são:

Grupo 1 - Floresta Densa de Terra Firme: Formação típica da região Amazônica, é também conhecida como floresta tropical chuvosa. É caracterizada por suas grandes árvores, geralmente com uma ou duas espécies que se sobressaem ao estrato arbóreo uniforme, entre 25 a 35 m de altura. Ocorre, principalmente, nas porções sul, sudeste e sudoeste do município e, em menor escala, nas demais regiões.           

Grupo 2 - Floresta Aberta com Cipoal: Floresta rala, apresentando poucas árvores, normalmente envolvidas por cipós, de baixa altura, raramente ultrapassando 20 m. Dentro desse tipo de floresta costumam ocorrer manchas de Floresta Densa. Concentra-se na parte centro sul do município, ao longo da rodovia BR-163.  

Grupo 3 - Floresta Aberta com Palmeiras: É uma formação mista de palmeiras e de árvores latifoliadas bem espaçadas, de altura bastante irregular (entre 10 a 25 m), apresentando agrupamentos de palmeiras nos vales rasos e concentrações de leguminosas nas superfícies aplainadas. Maior concentração a nordeste e pequena porção no Centro do Município.

De uma maneira geral, as áreas de floresta apresentam um interesse relevante para a economia do município, notadamente aquelas relacionadas à Floresta Densa de Terra Firme e Floresta Aberta com cipoal, pela presença de madeiras de alto valor comercial, como tauari (courati spp), jarana (leeythis lucida) e itauba (mezilaurus itauba), entre outras.

Cerrado 

Corresponde àquelas áreas quase totalmente desprovidas de vegetação, onde ocorrem somente tipos arbustivos, tortuosos e de pequeno porte, além de gramíneas. Compreende cerca de 314,25 km2 de superfície, o que representa 1,18% da área do município. Está bem caracterizado na porção setentrional da área, próximo às desembocaduras dos rios Tapajós (incluindo parte da belíssima região de Alter do Chão) e Arapiuns, bem como a nordeste da ilha do Tapará, próximo à divisa com o município de Monte Alegre, assim como na região do Lago Grande do Curuai. As áreas de cerrado (ou campos naturais) apresentam ausência quase que total de vegetação, solos de baixa fertilidade, extremamente arenosos, denominados areias quartzosas. Em geral, constituem paisagens de grande beleza natural, com potencial para o setor de turismo.

Várzea 

Localizada na porção setentrional do município, representa aquelas áreas submetidas temporariamente às inundações do rio Amazonas e afluentes, formados pela justaposição de ilhas, diques marginais, cordões fluviais, etc., os quais, em conjunto com os lagos ali existentes, compõem um típico "padrão anastomótico".

Sua origem está relacionada à deposição de sedimentos pelo rio Amazonas (principalmente), levando à formação das inúmeras ilhas que marcam esse domínio. No conjunto, compreende uma superfície com 1.137 km², o que corresponde a cerca de 4,29% do espaço municipal.

Suas ocorrências típicas estão situadas no extremo norte da região, constituindo, entre outras, as ilhas Ituqui, Maicá, Aracampina, Tapará, Palhão, São Miguel, Ponta Grande, Bom Vento, Marrecas, Patacho, Torrão Papaterra, Campo, etc. Na várzea, a vegetação típica está representada por gramíneas ( pastos), desenvolvidas sobre Solos Aluviais e Glei Pouco Húmico, em geral com elevada fertilidade. Possuem aptidão regular para lavouras baseadas em práticas agrícolas simples, que requerem de baixo a médio nível tecnológico. Além do potencial agrícola, são de grande importância para o setor turístico, por sua extrema beleza natural.

   

Fonte: Plano Municipal de Agropecuária Apud PRIMAZ
Documento: Inventário Florestal Preliminar do Potencial Madeireiro do Município de Santarém, 1996. Programa de Integração Mineral em Municípios da Amazônia PRIMAZ/CPRM: Situação do Espaço Municipal de Santarém.